Tráfego ferroviário é interrompido no Egito e governo anuncia novos ministros

CAIRO - O tráfego ferroviário foi interrompido no Egito, anunciou nesta segunda-feira a televisão pública, antes de uma grande manifestação convocada para exigir a saída do presidente Hosni Mubarak. Antes, a televisão oficial anunciou a formação de um novo governo no Egito, citando um decreto do presidente Mubarak.

Foram indicados novos ministros das Finanças e do Interior. Outros nomes, como o de Field Marshal Hussein Tantawi, ministro da Defesa, e o chanceler, Ahmed Aboul Gheit, foram mantidos.

O movimento contra o regime egípcio convocou uma greve geral por tempo indeterminado e uma passeata de um milhão de pessoas para terça-feira, no início do sétimo dia dos protestos que exigem a renúncia do presidente Hosni Mubarak.

"Decidimos durante a noite que na terça-feira acontecerá uma passeata de um milhão de pessoas", declarou à AFP Eid Mohamad, um dos líderes do movimento. "Também decidimos convocar uma greve geral indefinida", completou.

A convocação de uma greve geral foi feita na noite de domingo pelos trabalhadores da cidade de Suez, umas das três maiores do país, ao lado do Cairo e de Alexandria, onde foram registradas manifestações e distúrbios. As três cidades estão sob toque de recolher.