Cavaco Silva promete dar prioridade à inclusão social e geração de emprego

Brasília – Reeleito presidente de Portugal com 52,95% dos votos, em meio a uma abstenção de 53,37% do eleitorado, Aníbal Cavaco Silva (de centro-direita), 74 anos, prometeu que vai comandar o país para todos e dar prioridade à questão social. Segundo ele, a geração de emprego, a inclusão social e o combate à precariedade no mercado de trabalho são suas principais metas. A promessa ocorre no momento em que o país tenta superar uma crise financeira interna.

Em Portugal, funciona o sistema parlamentarista. O presidente da República é eleito para um mandato de cinco anos, mas o partido político com maior bancada no Parlamento é que escolhe o primeiro-ministro. Atualmente Cavaco Silva e o primeiro-ministro, José Sócrates, vivem um momento de tensão por divergências em vários aspectos. 

“Na linha da frente da minha gestão estará a luta pela inclusão social, combatendo as situações de exclusão decorrentes da pobreza, do desemprego e da precariedade do trabalho”, afirmou Cavaco Silva.

As informações são da rede de programação pública de Portugal, a RTP. Cavaco Silva disse que sua vitória representou a luta de “um contra cinco”, referindo-se ao fato de ele ser o único candidato governista disputando com cinco de oposição. “Serei presidente de Portugal inteiro, de todos, sem exceção. Cumprirei o que prometi”, disse.

Ele apelou para que a população busque informações seguras e o caminho baseado no “mérito nas escolhas políticas, com mais transparência e fundamentação nas decisões e mais ética”. Segundo ele, é a partir desses pilares que haverá respeito à dignidade das pessoas e a certeza do cumprimento de promessas feitas.

“Lutem para fazer de Portugal um país melhor na qualidade de sua democracia, no desenvolvimento econômico, na justiça social e na ambição”,  afirmou o presidente.