Preocupado com escândalo sexual na Itália, Vaticano pede mais 'moralidade'

O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, admitiu nesta quinta-feira que a Santa Sé "continua preocupada" com o escândalo sexual protagonizado pelo primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, acusado em um caso de prostituição de menores, e pediu mais "moralidade".

"A Santa Sé acompanha com atenção e preocupação os assuntos italianos", e considera "que é preciso grande responsabilidade, sobretudo perante as famílias, as novas gerações, a sociedade italiana, que pedem um exemplo", afirmou o cardeal.

"A Igreja convida a todos, principalmente àqueles que ocupam cargos públicos em qualquer setor administrativo, político e judicial, a comprometerem-se com uma postura de mais moralidade, sentido de justiça e legalidade", declarou Bertone.

O chefe do governo italiano encontra-se mais uma vez no centro de um escândalo sexual, um dos piores de sua carreira política, após ter sido acusado pela justiça de prostituição de menores e abuso de poder.

Berlusconi é investigado no caso de uma jovem marroquina, com quem supostamente manteve relações sexuais pagas quando ainda era menor de idade.

O premier nega as acusações e rebateu os juízes, acusando-os de persegui-lo "injustamente" e com "objetivos políticos".