Bento XVI pede "reforma profunda" da economia mundial

O Papa Bento XVI defendeu neste domingo uma "reforma profunda" da economia mundial e  pediu aos países ricos que não criem alianças que possam prejudicar os países pobres. "A atual crise econômica, que foi analisada nesses dias na reunião do G20, tem que ser encarada com grande seriedade", afirmou Bento XVI em seu pronunciamento semanal na praça São Pedro no Vaticano.

Bento XVI incentivou também a reativação da agricultura para ajudar as vítimas da crise econômica mundial e advertiu para o perigo do que chamou de "consumismo insustentável"."Considero que chegou o momento de voltar a valorizar a agricultura, não de uma forma nostálgica, mas como fonte indispensável para o futuro", acrescentou.

Apesar da crise, "os países industrializados incentivam estilos de vida dominados pelo consumismo", declarou o Papa, propondo "um novo equilíbrio entre agricultura, indústria e serviços para que o desenvolvimento seja sustentável".