Galeria expõe boneco de Ariel Sharon em coma para denunciar bloqueio político

     TEL AVIV - Uma galeria de arte vai expor um boneco em tamanho natural do ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon deitado, em estado de coma, obra do artista Noam Braslavzky - que quis, desta maneira, simbolizar o bloqueio da atual situação política israelense. O boneco de Sharon está com os olhos abertos e seu ventre proeminente se move ao ritmo da respiração.

"Sharon não é simplesmente um indivíduo. Tem uma enorme influência na vida de qualquer pessoa que viva nesse país", explicou Braslavsky. "O corpo de Sharon que respira é uma alegoria do corpo político israelense, uma existência dependente e sob assistência, perpetuada artificialmente", explica, por sua vez, o curador da exposição, Joshua Simon.

Considerado um falcão da política, acusado de crimes de guerra pelos palestinos, o general Sharon se converteu num dos chefes da direita nacionalista israelense. No entanto, ao chegar ao governo, desatou a ira de boa parte de seus partidários ao esvaziar as colônias e retirar unilateralmente o exército israelense de Gaza.

Ariel Sharon está em coma desde 2006.