Jornalistas da Al-Jazeera são detidos no Afeganistão

CABUL - Três jornalistas afegãos foram detidos no Afeganistão, incluindo dois profissionais do canal de televisão Al-Jazeera, que acusou a Otan de tentar impedir sua cobertura da guerra. Em um comunicado, a Al-Jazeera, que tem sede no Qatar, exigiu nesta quinta-feira que a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) da Otan liberte os cinegrafistas Mohamed Nader e Rahmatullah Nekzad. A Al-Jazeera acusou a Isaf de querer "acabar com sua cobertura completa da guerra no Afeganistão". O terceiro jornalista detido é Hojatullah Mujadadi, diretor da rádio Kapisa FM, na província de Kapisa, que fica ao nordeste de Cabul. Rahmatullah Nekzad foi detido no domingo na província de Ghazni, um reduto talibã. A Otan acusou Nekzad de ser um "propagandista talibã" e informou ter encontrado granadas e munições na casa do detido. A Aliança Atlântica não apresentou Nekzad como cinegrafista, nem como funcionário da Al-Jazeera. Mohamed Nader foi detido em Kandahar, berço dos talibãs no sul do país, ao lado de outras pessoas. O governador da província de mesmo nome, Turialy Weesa, afirmou que faria todo o possível para obter a libertação rápida do profissional.