Espanha e sindicatos fecham acordo sobre serviços mínimos durante greve geral do dia 29

MADRI - O governo espanhol e os sindicatos concluíram na madrugada desta quinta-feira, pela primeira vez na história, um acordo sobre os serviços mínimos que devem ser cumpridos durante a greve geral prevista para 29 de setembro, anunciou o secretário-geral dos Transportes, José Luis Cachafeiro. "O acordo garante tranquilidade para o dia de greve", disse Cachafeiro após dois dias de negociações entre o governo e os dois principais sindicatos do país, CCOO e UGT. O acordo prevê que de 20 a 40% dos voos internacionais serão garantidos, assim como 20% das viagens dos trens de alta velocidade durante a greve geral, a primeira desde a chegada ao poder, em 2004, do socialista José Luis Rodriguez Zapatero. Na última greve geral, de 2002, o então primeiro-ministro conservador José María Aznar impôs serviços mínimos, mas a atitude foi considerada abusiva pelos sindicatos, que recorreram à justiça. O acordo anunciado nesta quinta-feira é o primeiro do tipo antes de uma greve geral. Os dois grandes sindicatos da Espanha convocaram a paralisação de 29 de setembro para protestar contra uma polêmica reforma do mercado de trabalho, o que acaba com seis anos de paz com o governo socialista.