Papa denuncia 'ódio' e 'violência' após ameaça de queimar Alcorão

Agência AFP

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI denunciou nesta quarta-feira o "ódio" e a "violência" que imperam, "particularmente na Índia, no Paquistão e no Afeganistão", durante manifestações originadas pelo projeto de um pastor americano de queimar o Alcorão no dia 11 de setembro, que acabou não se concretizando.

"Rezo pelas vítimas e peço que prevaleçam sobre o ódio e a violência o respeito à liberdade religiosa e à lógica da reconciliação", disse o pontífice no Vaticano.

Bento XVI declarou acompanhar com "preocupação" o que acontece em várias regiões da Ásia meridional.

A ameaça do pastor Terry Jones de fazer uma fogueira com exemplares do Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos, para relembrar os atentados de 11/9, provocou distúrbios em todo o mundo, em especial no Afeganistão, onde dois manifestantes morreram no domingo.