Violentos e milionários: conheça os chefes do tráfico mexicano

Portal Terra

DA REDAÇ O - Em cerca de 15 dias, autoridades detiveram dois chefes do tráfico mexicano. Em 30 de agosto, Edgar "La Barbie" Valdez foi preso em uma operação policial. Suspeita-se que Valdez, 37 anos, seja o mais importante líder de cartel detido com vida desde o início da guerra às drogas no México, em 2006. Ele estaria disputando o controle do cartel de Beltran Leyva contra Héctor Beltrán Leyva e Sérgio Villarreal, apelidado de "El Grande", e detido pouco depois, no dia 12 de setembro. Villarreal foi capturado pelo exército mexicano em Puebla, no centro do país, depois de protagonizar por meses disputas violentas pelo controle do cartel. Confira abaixo alguns dos principais líderes de cartéis mexicanos:

"La Barbie"

Edgar "La Barbie" Valdez, 37 anos, considerado um dos maiores traficantes de drogas do México, foi preso em agosto, em uma operação policial. Ele era um dos traficantes mais procurados por México e EUA. A recompensa por sua captura estava fixada em US$ 2,2 milhões. Nascido em 1973 na cidade de Laredo (Texas), "La Barbie" - assim chamado pelo cabelo louro e os olhos claros - foi escalando posições no narcotráfico. No início, liderou operações na fronteira, quando ficou conhecido por sua violência. Nos últimos meses, era apontado pelas autoridades como o mandante de dezenas de execuções na cidade de Cuernavaca e no balneário de Acapulco. As vítimas de "La Barbie" geralmente eram decapitadas ou sofriam graves mutilações, e muitas foram penduradas em pontes após a execução. O narcotraficante travava uma sangrenta luta nos Estados de Morelos e Guerrero pelo controle do cartel dos irmãos Beltrán Leyva, cujo líder, Arturo Beltrán, morreu em dezembro passado durante uma operação militar.

"El Grande"

No dia 12 de setembro, o exército mexicano capturou Sergio Villarreal, principal operador do cartel de drogas dos irmãos Beltrán Leyva. Villarreal, conhecido como "El Grande", estava num nível hierárquico equivalente ao de Edgar Valdez. O ex-policial, por quem o governo oferecia uma recompensa de cerca de US$ 2,3 milhões, foi preso ao sair de uma casa na cidade de Puebla, perto da capital mexicana, junto com outras pessoas.

Arturo Beltrán Leyva

Arturo Beltrán Leyva, chefe de um dos cartéis de drogas mais poderosos e violentos do México e um dos homens mais procurados pela Justiça do México e dos Estados Unidos, morreu em dezembro de 2009 em um confronto com forças de segurança do país. O criminoso, que chamava a si mesmo de "o chefe dos chefes", liderava a organização que levava seu nome, uma dissidência do cartel de Sinaloa, e era acusado pelos EUA de introduzir toneladas de cocaína no país. Leyva foi o traficante mais importante já morto pelas forças mexicanas desde o chefe do cartel de Tijuana, Ramon Arellano Felix, em 2002. Chamado de "botas brancas" por causa de suas botas de caubói, ele desfrutava da proteção de policiais corruptos. Havia uma recompensa de US$ 2,4 pela captura de Leyva no México, onde ele era procurado por crime organizado e sequestro. Beltrán Leyva foi um importante membro do poderoso cartel de Sinaloa, mas deixou o grupo após a prisão de seu irmão Alfredo em janeiro de 2008, o que foi visto como uma traição pelo líder do Sinaloa, Joaquín "El Chapo" Guzmán, esse sim o homem mais procurado no país.

Carlos Beltran Leyva

Carlos Beltran Leyva, 40 anos, considerado membro-chave de um dos cartéis mais poderosos do narcotráfico mundial, foi preso em 30 de dezembro de 2009 em Culiacán, cidade onde ele e seus irmãos nasceram e onde teriam começado as operações do cartel Beltrán Leyva. A polícia mexicana descreve Carlos como um membro-chave do cartel, mas não se sabe se ele assumiu o posto de chefe após a morte do irmão.

"El Chapo"

Joaquín Guzmán Loera, conhecido como "El Chapo", é considerado o traficante mais poderoso e mais procurado do México e de toda América Latina. O governo mexicano estipulou em US$ 2 milhões a recompensa por informações sobre seu paradeiro, enquanto os EUA, em US$ 5 milhões. Cabeça-chave do Cartel de Sinaloa, "El Ch