Sequestro de ônibus com turistas nas Filipinas termina com 10 mortos

JB Online

MANILA - Após 12 horas, terminou de maneira trágica o sequestro de um ônibus com turistas estrangeiros em Manila, a capital das Filipinas. Segundo a Cruz Vermelha, pelo menos 10 pessoas morreram, inclusive o sequestrador. Apenas cinco reféns teriam sido resgatados com vida.

O sequestrador, armado com um fuzil automático M-16, tinha dito que não se entregaria e mataria os reféns se a tropa de elite entrasse.

O ex-policial Orlando Mendoza, que sequestrou o ônibus com passageiros na noite de domingo, quer ser reintegrado. Ele acha que sua demissão foi injusta. Entre os 25 reféns, havia estrangeiros e várias crianças. Nove pessoas foram libertadas no final da madrugada desta segunda-feira - seis cidadãos de Hong Kong e três filipinos, na maioria mulheres e crianças, informaram fontes policiais.

O porta-voz da Polícia Nacional, Agrimero Cruz, disse que as mulheres e crianças libertados por Mendoza foram levados para as dependências policiais para que forneçam informações. Já na manhã de segunda, o motorista do coletivo aproveitou um descuido do sequestrador e fugiu pela janela.

O sequestrador colocou uma cartolina em uma janela do ônibus na qual escreveu as condições para libertar os reféns, e que incluem sua absolvição pela Defensoria do Povo das Filipinas das acusações que pesam sobre ele. Mendoza também fez chegar mensagens escritas em pequenos pedaços de papel aos agentes postados na área, enquanto a polícia tentou falar diretamente com ele ligando para o telefone celular do motorista.

O sequestrador tomou o controle do veículo às 9h (horário local, 22h deste domingo em Brasília) e manteve negociações com as autoridades. A polícia identificou o suposto sequestrador como um antigo inspetor com patente de capitão que foi afastado da corporação em 2008, após ser acusado de roubo, extorsão e tráfico de drogas.

O ônibus, pertencente à agência Hong Tai Travel, foi rodeado pelas forças de segurança perto do parque de Rizal, um dos lugares mais visitados da capital filipina. O sequestrador subiu ao veículo quando este vinha do centro histórico de Manila e estava a apenas 150 metros de uma delegacia.