China: boicote a Jogos é problema de comitês nacionais e não de Pequim

Agência EFE

PEQUIM - As declarações de altos representantes políticos, como os ministros de esportes da República Tcheca e da Bélgica, afirmando que não irão aos Jogos Olímpicos, são, segundo a China, um problema de seus respectivos Comitês Olímpicos nacionais, não de Pequim.

-O COI e o Bocog (Comitê Organizador de Pequim 2008) enviam convites aos Comitês Olímpicos e lhes diz que podem convidar para a cerimônia de inauguração representantes reais, chefes de estado, primeiros-ministros e ministros de esportes, e eles decidem quem vão trazer-, disse hoje o porta-voz do Ministério de Exteriores chinês, Qin Gang.

Qin expressou, assim, que não se pode chamar de boicote aos Jogos a decisão individual de determinados cargos políticos de não assistir à cerimônia de inauguração.

-As declarações das figuras políticas são uma resposta aos Comitês Olímpicos nacionais de seus países-, acrescentou o porta-voz.

-Aqueles hóspedes distintos que forem convidados serão bem-vindos e bem recebidos pela China-, concluiu, antes de repetir que deseja que o evento esportivo seja um sucesso.