Fracassam referendos para entrada de Taiwan na ONU

Agência EFE

TAIPÉ - Os dois referendos para a entrada nas Nações Unidas convocados neste sábado em Taiwan não conseguiram os 50% necessários para que os resultados fossem vinculativos, segundo a comissão eleitoral.

No primeiro referendo de entrada na ONU sob o nome de Taiwan, proposto pelo independentista Partido Democrata Progressista (PDP), mais de 5,5 milhões votaram a favor, frente a pouco mais de 351.000 contra, com uma participação eleitoral de 35,81%.

O segundo referendo, sobre a entrada, mas com o nome oficial de República da China, patrocinado pelo opositor Partido Kuomitang, 4,49 milhões de cidadãos votaram a favor e mais de 721.000 contra, com uma participação também insuficiente de 35,72%.

- A derrota dos referendos foi devido ao boicote opositor que limitou a participação aos independentistas radicais, que não superam 36% do eleitorado - disse o observador político Cheng Li-yang.

As pesquisas de opinião em Taiwan mostram que mais de 80% dos taiuaneses é a favor da entrada na ONU e da manutenção da atual situação de independência de fato, ao mesmo tempo em que rejeitam a integração a curto prazo à China.

As ameaças chinesas e a rejeição dos Estados Unidos e de outros países à convocação do plebiscito sobre a entrada da ilha sob o nome de Taiwan, por temor de que desencadeie mais tensões, levou a oposição ao boicote.

- O resultado manifesta que a maioria dos taiuaneses procura uma saída pacífica e sem riscos diante do conflito político com a China - afirmou o professor F.C. Chi, da Universidade Tamkang.