Peretz reitera oposição ao bloqueio a Gaza e defende acordo de paz

Agência EFE

RABAT - O trabalhista Amir Peretz, que era o ministro da Defesa de Israel durante o conflito no Líbano em 2006, reiterou nesta sexta-feira sua oposição ao bloqueio à Faixa de Gaza e sua crença em que a 'única solução' para o conflito palestino-israelense é alcançar um acordo negociado.

- Enquanto homem de paz, acho que só há uma solução: a paz que se derivará de um acordo negociado - disse Peretz em entrevista concedida ao jornal marroquino 'La Nouvelle Tribune'.

- Estamos em uma situação na qual prima a violência extrema. É muito difícil discutir sob o fogo dos fuzis ou das bombas - disse o ex-ministro, para quem 'é preciso decisões reais e uma dinâmica mais potente', não só 'chegar a um acordo, mas também colocá-lo em andamento'.

O trabalhista expressou seu desejo de que esse pacto inclua o movimento islâmico Hamas, 'um elemento central da sociedade palestina', e mostrou sua disposição em se encontrar com os dirigentes desse grupo, em uma reunião que seria 'um primeiro passo para o reconhecimento mútuo'.

Peretz reiterou sua 'oposição à destruição de infra-estruturas civis e qualquer punição coletiva' e, em conseqüência, voltou a afirmar publicamente sua 'clara' oposição ao bloqueio à Faixa de Gaza.

Além disso, segundo o jornal, disse acreditar que os palestinos "querem a paz' e 'possuem o legítimo direito de ter sua pátria e tramitar seu destino com independência de qualquer controle externo'.