Ulemás suitas defendem uso de força para expulsar tropas do Iraque

Agência EFE

BAGDÁ - A Associação de Ulemás Muçulmanos (AUM), máxima autoridade religiosa sunita no Iraque, defende o uso da força como único meio para expulsar as tropas estrangeiras do país árabe, em comunicado por ocasião do quinto aniversário da ocupação.

- O ocupante entrou em nossa terra à força e não vai embora a menos que seja usada a força - afirma a associação em comunicado divulgado hoje em seu site.

Além disso, a nota advertiu aos iraquianos que não confiem nos dirigentes políticos que colaboram com as forças estrangeiras.

- Qualquer chamada feita por políticos que aceitam trabalhar sob o guarda-chuva da ocupação deveria ser considerada um convite à rendição e à capitulação - segundo o texto.

Segundo a AUM, 'as forças da ocupação' são responsáveis pelo fato de que Iraque tenha se transformado na 'zona mais perigosa do mundo'.

Por último, os ulemás recomendaram aos iraquianos que sejam solidários entre eles e pacientes, 'porque a era da ocupação acabará em breve'.