Gafe de republicano McCain provoca ironia entre os democratas

Agência AFP

WASHINGTON - Uma declaração infeliz do candidato republicano John McCain, que na terça-feira disse que o Irã treinava membros da Al-Qaeda no Iraque, gerou comentários irônicos por parte dos democratas, que indagaram como alguém que pretende fazer de sua experiência em política externa o ponto forte de sua campanha pode dizer algo assim.

Durante sua passagem pelo Oriente Médio, McCain afirmou em Amã, na terça-feira, que membros da rede terrorista Al-Qaeda eram treinados no Irã para combater os soldados que ocupam o Iraque.

"Todo mundo sabe que a Al-Qaeda vai até o Irã para treinar e em seguida volta para o Iraque. É algo bastante conhecido", disse o candidato republicano à Casa Branca.

Oficialmente os Estados Unidos acreditam que o Irã, país xiita, treina grupos extremistas xiitas no Iraque, mas não a Al-Qaeda, que é uma organização sunita.

E McCain repetiu suas afirmações:

"Continuamos procupados com o fato de que os iranianos cobiçam a Al-Qaeda, treinam seus membros e os levam de volta para o Iraque", afirmou.

Foi necessário que o senador independente Joe Liberman - que o acompanhava - soprasse algo em seu ouvido, segundo a imprensa. Depois disso, MacCain se corrigiu:

"Perdão, os iranianos treinam extremistas, mas não a Al-Qaeda".

Os democratas aproveitaram o episódio para atacar o rival hoje.

"Ouvimos o senador McCain confundir sunitas com xiitas, Irã e Al-Qaeda. Talvez tenha sido por isso que ele votou pela guerra em um país que não tinha laços com a a Al-Qaeda", ironizou o pré-candidato democrata Barack Obama.

"Talvez seja por isso que ele não consegue entender que a guerra no Iraque ajudou os inimigos dos Estados Unidos mais que qualquer outra opção estratégica levada a cabo nestas últimas décadas", acrescentou.

"Depois de oito anos de incompetência da administração Bush no Iraque, os comentários de McCain não dão aos americanos uma só razão para confiar que ele oferecerá uma solução clara", declarou por sua vez Karen Finney, porta-voz do partido Democrata.

Segundo pesquisas recentes, a grande maioria dos americanos acredita que John McCain é o candidato mais capaz de enfrentar a crise internacional.