Execução na cadeira elétrica é banida nos EUA

Agência EFE

WASHINGTON - A pena de morte por eletrocussão foi definitivamente banida nos Estados Unidos, depois que a Suprema Corte de Nebraska declarou o método anticonstitucional.

A pena de morte vigora em 36 dos 50 estados do país. Nebraska era o único deles que mantinha a cadeira elétrica como método de execução. Nos demais, a pena de morte é aplicada mediante uma injeção letal.

- A marca característica de uma sociedade civilizada é que castigamos a crueldade sem apelar a ela - manifestou hoje o Supremo estadual.

- As provas demonstram que a eletrocussão infringe uma dor intensa e um sofrimento agonizante. Portanto, a eletrocussão como método de execução é um castigo cruel e desusado - diz a decisão.

Além disso, os juízes do tribunal disseram que o método é "um dinossauro mais apropriado para um laboratório do Barão Frankeinstein que para uma câmara da morte".

- Este é o último prego no caixão da eletrocussão - disse Richard Dieter, diretor do Centro de Informação da Pena de Morte (CIPM), após tomar conhecimento da sentença.

- (A decisão) é uma mensagem dirigida aos outros estados no sentido de que a pena de morte está sob a avaliação dos tribunais estaduais e federais - acrescentou.

Em seu veredicto sobre a execução, o tribunal explicou que sua decisão sobre a cadeira elétrica não significa a abolição da pena de morte no estado.

A decisão judicial foi criticada pelo governador Dave Heineman, que se referiu a ela como uma manifestação de "ativismo político" e disse que vai chamar as autoridades legislativas do estado para substituir a eletrocussão pela injeção letal.