Namoro de princesa Diana e Dodi acabou antes do acidente, diz amigo

Agência EFE

LONDRES - A princesa Diana tinha terminado o namoro com Dodi al-Fayed antes do acidente que matou ambos em Paris, em 31 de agosto de 1997, revelou nesta segunda-feira um amigo da princesa na investigação judicial sobre a morte do casal. Em depoimento ao Tribunal Superior de Londres, Rodney Turner, diretor da HR Owen - prestigiosa revendedora de automóveis no Reino Unido - disse que a princesa tinha pedido que não fizesse muito "escândalo' porque tudo tinha acabado entre ela e Dodi.

- Ela me disse que tinha terminado tudo, o que me comoveu - declarou Turner na audiência pública, acrescentando que a princesa teria dito a ele: - Não faça escândalo. Acabou. Desencantei-me - disse.

Turner se tornou amigo de lady Di no final de 1995, quando começou a vender automóveis à princesa. Seus filhos também estudavam no Eton College, mesmo colégio do sudoeste de Londres freqüentado pelos filhos de Diana, os príncipes William e Harry. A investigação judicial tenta estabelecer definitivamente se Diana e Dodi morreram em um acidente.

O pai de Dodi, o egípcio Mohamed al-Fayed, dono das lojas de departamento Harrods, acredita que seu filho e a princesa foram vítimas de um complô dos serviços secretos britânicos para impedir que eles pudessem se casar. No entanto, as duas investigações sobre a tragédia - uma francesa e outra britânica - coincidiram que os dois morreram em um acidente de trânsito quando o veículo em que viajavam bateu em uma coluna do túnel da ponte Alma, em Paris.