Bush e Howard acham que há avanços no Iraque e Afeganistão

Agência EFE

AUSTRÁLIA - O primeiro-ministro australiano, John Howard, disse nesta quinta-feira que falou por telefone com o presidente dos Estados Unidos, George Bush, e os dois avaliaram que há avanços no Iraque e no Afeganistão.

- O que quer que se pense sobre a invasão inicial, devemos nos concentrar na realidade atual - disse Howard à emissora "Macquarie Radio". - Houve progressos no Afeganistão e Iraque, nem tudo é negativo. Ninguém achou que seria fácil - acrescentou.

Ele opinou ainda que "se os Estados Unidos se retirassem do Iraque em circunstâncias que pudessem ser percebidas como de derrota, isso causaria uma instabilidade enorme no Oriente Médio, o que seria terrível para o prestígio americano".

- A alternativa de retirada garantirá uma guerra civil e o caos e a vitória do terrorismo, e nos opomos frontalmente a isso - destacou o primeiro-ministro.

Bush "está sob pressão", afirmou, mas "não é uma pessoa que sucumba facilmente à pressão".

O telefonema serviu também para falar sobre a reunião do Fórum de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico (Apec), em Sydney, em setembro.

Uma enquete da empresa Newspoll, em julho, revela uma divisão da opinião pública australiana. Enquanto 23% querem retirada imediata das tropas do Iraque, 14% esperam que isso aconteça até meados de 2008, 26% numa data futura, mas certa, e 31% quando o Governo iraquiano decidir.

A Austrália enviou tropas ao Iraque desde o princípio da invasão, em março de 2003. O Governo se comprometeu recentemente a mandar de 50 a 70 novos instrutores e manter seus 900 soldados no país. No Afeganistão, há mais 950 soldados australianos.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais