Chávez e Kirchner concordam em criar multinacional do petróleo

Agência JB

VNEZUELA - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e o da Argentina, Néstor Kirchner, firmaram nessa segunda-feira um Tratado de Segurança Energética que contempla a criação da Petrosuramérica, uma empresa energética multinacional.

Trata-se de uma empresa "que englobará as áreas de petróleo, gás, refino, petroquímica, desenvolvimento de infra-estrutura de transporte, de armazenamento, distribuição, eletricidade, energias alternativas e transporte marítimo", de acordo com o texto do convênio firmado na Argentina. A companhia será constituída por uma corporação de empresas binacionais.

Por esse acordo, que ficará em vigor por cinco anos, ambos os países continuarão de forma conjunta com a atividade de "quantificação e certificação" de reservas na faixa petrolífera do Orinoco, na Venezuela.

A estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) terá participação na exploração no Golfo de San Jorge, na Patagônia argentina, e fornecerá combustível para a empresa mista Enarsa-Pdvsa. Enarsa é a estatal argentina.

Além disso, o Memorando de Entendimento firmado por ambos os presidentes estabelece a construção de uma unidade destinada a produzir gás liquefeito para a Argentina.

Para isso, será criado um "Comitê Binacional de Direção de Alto Nível", que estudará as condições necessárias para constituir uma empresa mista para o projeto e construção da fábrica, com um prazo de cinco meses. O comitê será composto por oito membros: quatro da PDVSA e quatro da Enarsa.

Chávez acredita que, em dois anos, a planta estará pronta para fornecer 10 milhões de metros cúbicos de gás liquefeito para a Argentina.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais