Ex-chefe da Dina é condenado no Chile por desaparecimento de opositor

Agência EFE

SANTIAGO - Um juiz chileno condenou a cinco anos de prisão o general reformado Manuel Contreras, ex-chefe da Dina, Polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet, pelo desaparecimento de um carpinteiro em 1974, informaram nesta terça-feira fontes judiciais.

A decisão judicial, ditada pelo juiz Juan Eduardo Fuentes, também ditou uma pena de cinco anos de prisão para o agente civil da Direção de Inteligência Nacional (Dina), Osvaldo Romo, e de três anos e um dia de detenção para os ex-brigadeiros do Exército Miguel Krassnoff e Marcelo Morem Brito.

Desta forma, Contreras, que foi um dos colaboradores mais próximos do ditador Pinochet, que morreu em dezembro de 2006, acumula mais de 15 penas por violações aos direitos humanos, por períodos que vão de 5 a 15 anos de prisão.

A sentença do magistrado se refere ao desaparecimento de Ofelio de la Cruz Lazo, de 42 anos. O carpinteiro e militante de esquerda foi detido em sua casa por soldados da Dina no dia 30 de julho de 1974 e está desaparecido desde então.

Todos os condenados estão atualmente em prisão, cumprindo outras sentenças por violações aos direitos humanos.