Ciclone Gonu perde força após deixar 28 mortos

Agência JB

DUBAI - O ciclone Gonu virou nesta quinta-feira uma tempestade ao passar por uma importante rota de carregamento de mercadorias na direção do Irã, mas matou 28 pessoas e deixou um rastro de destruição que prejudicou as exportações de petróleo e gás de Omã pelo terceiro dia.

Segundo especialistas, o Gonu, que chegou à categoria cinco de furacões, a máxima, é agora uma tempestade tropical.

Seus ventos máximos chegam a uma velocidade de cerca de 72 km/h, informou um centro militar de meteorologia dos EUA.

A agência de notícias oficial de Omã disse que houve confirmação de 25 pessoas mortas pela tempestade, que transformou as ruas da capital Mascate em rios, virando carros e rompendo cabos de eletricidade e linhas telefônicas.

No sul do Irã, três pessoas morreram, de acordo com a TV estatal do país.

A tempestade provocou temores de abalo nas exportações do Oriente Médio, responsável por mais de um quarto do petróleo do mundo. Com isso, os preços beiraram os 71 dólares o barril.

Mina al Fahal, o único terminal para as exportações dos 650 mil barris por dia de Omã, permanecia fechado pelo terceiro dia. Além disso, o principal terminal de gás natural liquefeito, em Sur, não deverá operar também, segundo uma fonte do setor.

Mas refinarias de Omã não parecem ter ficado danificadas.