Sete soldados mortos e sete feridos em ataque curdo naTurquia

Agência EFE

ANCARA - Sete soldados turcos morreram e outros sete ficaram feridos nesta segunda-feira em um ataque de rebeldes curdos contra um posto policial no sudeste da Turquia, informou a rede de televisão 'NTV'.

Segundo as fontes, um suposto terrorista conduziu um veículo contra o posto nos arredores da localidade de Pulumur, na província de Tunceli, e lançou uma granada, enquanto outros rebeldes dispararam contra os soldados.

Pelo menos um dos guerrilheiros do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) morreu no incidente, enquanto os outros guerrilheiros foram perseguidos por tropas turcas enviadas ao local com helicópteros, assegurou a agência de notícias 'Anadolu'.

O ataque de hoje já é considerado o maior perpetrado pelo PKK, cujas operações diminuíram em intensidade desde a detenção do seu líder Abdulá Ocalan em 1999.

O PKK iniciou sua luta armada contra o Estado turco no ano de 1984 para exigir mais direitos para os cerca de 12 milhões de curdos que vivem no país.

Cerca de 35 mil pessoas morreram nesta guerra não declarada entre o Exército turco e o PKK, cujos rebeldes se escondem na parte norte do Iraque, vizinho da Turquia.

Por isso, o Exército turco deslocou mais tropas para a fronteira com o Iraque, a fim de evitar a infiltração de rebeldes curdos vindos do país vizinho e para uma possível operação transfronteiriça.

O Exército turco assegura que perto de 10% dos rebeldes do PKK se encontram em território turco, enquanto o resto está no norte do Iraque.

O Governo em Ancara quer levar o caso dos ataques rebeldes curdos e sua suposta presença no norte do Iraque perante as Nações Unidas.

Desta forma, a Turquia pretende demonstrar que se defender militarmente contra esses ataques atende as leis internacionais.

Sete soldados mortos e sete feridos em ataque curdo naTurquia

Agência EFE

ANCARA - Sete soldados turcos morreram e outros sete ficaram feridos nesta segunda-feira em um ataque de rebeldes curdos contra um posto policial no sudeste da Turquia, informou a rede de televisão 'NTV'.

Segundo as fontes, um suposto terrorista conduziu um veículo contra o posto nos arredores da localidade de Pulumur, na província de Tunceli, e lançou uma granada, enquanto outros rebeldes dispararam contra os soldados.

Pelo menos um dos guerrilheiros do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) morreu no incidente, enquanto os outros guerrilheiros foram perseguidos por tropas turcas enviadas ao local com helicópteros, assegurou a agência de notícias 'Anadolu'.

O ataque de hoje já é considerado o maior perpetrado pelo PKK, cujas operações diminuíram em intensidade desde a detenção do seu líder Abdulá Ocalan em 1999.

O PKK iniciou sua luta armada contra o Estado turco no ano de 1984 para exigir mais direitos para os cerca de 12 milhões de curdos que vivem no país.

Cerca de 35 mil pessoas morreram nesta guerra não declarada entre o Exército turco e o PKK, cujos rebeldes se escondem na parte norte do Iraque, vizinho da Turquia.

Por isso, o Exército turco deslocou mais tropas para a fronteira com o Iraque, a fim de evitar a infiltração de rebeldes curdos vindos do país vizinho e para uma possível operação transfronteiriça.

O Exército turco assegura que perto de 10% dos rebeldes do PKK se encontram em território turco, enquanto o resto está no norte do Iraque.

O Governo em Ancara quer levar o caso dos ataques rebeldes curdos e sua suposta presença no norte do Iraque perante as Nações Unidas.

Desta forma, a Turquia pretende demonstrar que se defender militarmente contra esses ataques atende as leis internacionais.

m.js?v=32">