Putin afirma ser o único democrata no mundo

Agência AFP

HEILIGENDAMM (ALEMANHA) - O presidente russo Vladimir Putin afirmou ser "o único verdadeiro democrata no mundo" e disse com ironia que "não tem mais com que conversar desde a morte de Mahatma Gandhi".

- Sou um verdadeiro democrata? Certamente, sou um verdadeiro e absoluto democrata - declarou em uma entrevista publicada nesta segunda-feira em oito jornais de países do G8, incluindo o russo Kommersant, antes da reunião de cúpula deste grupo que acontecerá em Heiligendamm (Alemanha) de 6 a 8 de junho.

- A tragédia é que sou o único verdadeiro democrata do mundo. Vejam o que acontece na América do Norte. É horroroso: torturas, indigentes, Guantánamo, a detenção sem processo e sem investigação - comentou.

- Vejam o que acontece na Europa: violências contra os manifestantes, o uso de balas de borracha, gás lacrimogêneo em uma capital, a morte de um manifestante em outra - acrescentou, em referência à manifestações contrárias ao G8 na Alemanha e à morte de um russo em um protesto em Tallinn (Estônia) contra a transferência de um monumento soviético.

- Nem sequer me refiro ao espaço pós-soviético. Houve esperanças com os jovens na Ucrânia, pero se desacreditaram completamente e se orientam para a tirania - afirmou ironicamente o chefe de Estado do Kremlin, que sempre criticou a Revolução Laranja de 2004 em Kiev.

- Desde que Mahatma Gandhi morreu, não tenho ninguém com que conversar - concluiu.

A Rússia é criticada pela violência policial durante as manifestações da oposição, as intimidações e o cerco aos militantes dos direitos humanos e opositores, assim como pela crescente concentração de poder do Kremlin.

O ex-chanceler alemão Gerhard Schroeder provocou polêmica ao qualificar Vladimir Putin, com quem mantinha relações amistosas, de democrata "de linhagem pura".