Manifestantes e policiais se enfrentam antes de cúpula do G8

REUTERS

BERLIM - Manifestantes e policiais entraram em choque na cidade alemã de Rostock, nesta segunda-feira, no terceiro dia de protestos contra a cúpula do Grupo dos Oito (G8) que acontece em um local próximo dali, nesta semana. Cerca de mil manifestantes reuniram-se em frente ao escritório de imigração da cidade para criticar as políticas de asilo adotadas pelos países industrializados do mundo. Os líderes do G8 reúnem-se a partir de quarta-feira na cidade costeira de Heiligendamm, a cerca de 25 quilômetros de Rostock.

Após ter começado de forma pacífica, o protesto acabou dominado por um grupo de ativistas que atirou pedras e garrafas contra policiais, afirmou uma porta-voz da polícia.

- Várias pessoas foram detidas - acrescentou, ressaltando que ninguém ficou ferido.

Outras manifestações devem acontecer nesta segunda-feira e a polícia monitorava um grupo de 2.500 supostos militantes, alguns dos quais usando máscaras e que participavam de uma mobilização. A polícia responsabilizou um grupo de militantes conhecido como "bloco negro" pelo surto de violência ocorrido durante uma manifestação até então pacífica realizada no sábado.

Quase mil pessoas ficaram feridas quando manifestantes atiraram pedras contra policiais e atearam fogo em um carro. Os organizadores dos protestos e políticos condenaram a violência. Dezenas de manifestantes montaram barracas nas proximidades de Rostock como parte do programa de uma semana durante o qual devem acontecer manifestações e protestos.