Kouchner lembra direito de Israel existir

Agência EFE

PARIS - O ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard Kouchner, condenou nesta segunda-feira as declarações feitas neste domingo pelo presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, contra Israel e lembrou o direito de o Estado judeu existir, 'consagrado pelas Nações Unidas'.

Em comunicado, o chefe da diplomacia francesa referiu-se às palavras de Ahmadinejad, que voltou a criticar Israel e manifestou, entre outros, que 'já começou a contagem regressiva para seu desaparecimento'.

- Essas palavras são inaceitáveis. Condeno com firmeza, disse Kouchner, para quem esse tipo de comentários 'é incompatível com o diálogo entre culturas e civilizações e com a aspiração do Irã de ter um papel regional de importância'.

Para o ministro francês, o conflito palestino-israelense e os relacionados ao Líbano não podem ser um pretexto para questionar o direito 'fundamental' de Israel existir.