EUA estendem sanções econômicas contra a Síria por mais um ano

Agência EFE

WASHINGTON - O presidente americano, George W. Bush, estendeu por mais um ano as sanções econômicas contra a Síria, país que os Estados Unidos acusam de apoiar o terrorismo, segundo um anúncio oficial feito nesta quarta-feira.

O presidente afirmou numa ordem executiva dirigida na terça-feira ao Congresso que o apoio da Síria ao terrorismo, a sua intervenção no Líbano e o desenvolvimento de programas armamentistas prejudicam os esforços para estabilizar o Iraque.

Além disso, 'criam uma permanente e contínua ameaça à segurança nacional, à política e à economia dos EUA'.

Em 11 de maio de 2004, Bush autorizou o bloqueio das propriedades de algumas pessoas e proibiu a exportação de uma série de produtos à Síria. As medidas foram ampliadas em 25 de abril de 2006.

"Como as ações e políticas do Governo da Síria continuam constituindo uma ameaça' aos EUA, as medidas devem continuar, explicou Bush.

Os EUA mantêm um permanente conflito com a Síria nos últimos anos como resultado das acusações de apoio ao terrorismo e do uso de seu território como plataforma para grupos que lutam contra as forças americanas no Iraque.