Missão da ONU em Kosovo se reúne com representantes internacionais

Agência EFE

PRISTINA - A delegação do Conselho de Segurança das Nações Unidas iniciou em Pristina as reuniões com representantes internacionais e os máximos cargos albano-kosovares para se informar sobre a situação no Kosovo.

Os quinze embaixadores se reuniram primeiro com o chefe da Missão de Administração Interina da ONU no Kosovo (Unmik), Joachim Rücker, e com o comandante da Força da Otan no Kosovo (KFOR), general Roland Kather.

A missão também se reunirá com a equipe negociadora albano-kosovar e com o primeiro-ministro do Kosovo, Agim Çeku, antes de se dirigir a Gracanica, um enclave das proximidades de Pristina habitado por sérvios.

A delegação da ONU deve visitar também a cidade de Mitrovica (norte) e várias aldeias tanto albanesas como sérvias que sofreram danos na guerra ou nas ondas de violência após o conflito.

A visita da missão tem como objetivo verificar em que medida foram cumpridas no Kosovo as normas democráticas exigidas pela resolução 1.244 da ONU, que estabeleceu o plano de paz, em 1999. As conclusões serão levadas ao debate para determinar o futuro estatuto da província.

O Conselho de Segurança debaterá o plano do mediador finlandês Martti Ahtisaari, que propõe para o Kosovo uma independência sob supervisão internacional.

Os albaneses, que são 90% da população na província, reivindicam a independência como a única solução, mas a Sérvia se opõe taxativamente.

A delegação da ONU chegou ao Kosovo na quinta-feira à noite procedente de Belgrado, onde as autoridades sérvias informaram sua postura de oferecer à província uma ampla autonomia sem mudar as fronteiras da Sérvia.

Belgrado denuncia o descumprimento no Kosovo das normas democráticas e ressalta que não se avançou no retorno de mais de 200 mil sérvios que fugiram nos últimos oito anos devido ao assédio albanês.