Columbine fica fechada no oitavo aniversário do massacre

Agência EFE

DENVER - A escola de ensino médio de Columbine (Colorado) fechou nesta sexta-feira suas instalações e voltou a se vestir de luto como a cada 20 de abril, desde que em 1999 os alunos Eric Harris, de 18 anos, e Dylan Klebold, de 17, mataram 12 companheiros e um professor antes de se suicidarem.

A lembrança foi marcada por mais dor já que acontece só quatro dias após a tragédia acontecida na Virginia Tech, na qual Cho Seung-Hui tirou a vida de 32 pessoas antes de se suicidar. O governador do Colorado, Bill Ritter, se reuniu com moradores de Denver, a cidade maior do estado, para lembrar das vítimas no oitavo aniversário do massacre e guardar instantes de silêncio pelos estudantes assassinados na segunda-feira na Virgínia.

- Columbine se transformou em um lugar para a cicatrização das feridas, para a unidade e para a esperança - disse o governador após assistir à cerimônia principal de comemoração da tragédia na Catedral da Imaculada Conceição de Denver.

Frank DeAngelis, diretor da escola, disse nesta sexta-feira aos meios de imprensa que os afetados pelo tiroteio de 20 de abril de 1999 estão 'novamente traumatizados' por causa das imagens da Virgínia, e se sentem 'mais uma vez atingidos', no dia em que se relembra o massacre em Columbine. Ritter afirmou que as bandeiras no Colorado ficarão hasteadas a meio mastro até às 17h (hora local) de domingo, enquanto os administradores de Columbine manterão no futuro a tradição de fechar a escola a cada aniversário da tragédia.