Taliban ataca civis no Afeganistão para espalhar medo, diz Anistia

REUTERS

CABUL - Insurgentes do Taliban estão deliberadamente atacando civis afegãos para espalhar medo e exercer controle sobre a população, disse na quinta-feira o grupo de direitos humanos Anistia Internacional.

No segundo relatório de um grupo internacional de direitos humanos nesta semana acusando o Taliban de crimes de guerra por atacar civis, a Anistia convocou todos os lados no conflito do Afeganistão para garantir que os civis sejam tratados de maneira humana.

- É o Taliban que tem uma política deliberada de ter civis como alvos -- eles estão matando professores, sequestrando trabalhadores de ajuda e queimando escolas e prédios, disse em comunicado Claudio Cordone, diretor do grupo para pesquisa.

Mais de 4 mil pessoas morreram em conflitos no ano passado, quando o Taliban intensificou sua insurgência para expulsar tropas estrangeiras. Autoridades afegãs dizem que cerca de um quarto dos mortos eram civis.

A Anistia Internacional diz que pelo menos 756 civis foram mortos no ano passado por bombas, a maioria em estradas ou detonadas por suicidas, segundo dados da Otan e da Organização das Nações Unidas.

- Ao usar ataques indiscriminados como explosões suicidas em locais públicos e deliberadamente tendo como alvo trabalhadores civis, o Taliban está cometendo crimes de guerra, disse Cordone.

- O fato de esses ataques serem difundidos e realizados como parte da política do Taliban faz deles também crimes contra a humanidade.

Em um relatório na segunda-feira o Human Rights Watch acusou o Taliban de cometer crimes de guerra.

Um porta-voz do Taliban rejeitou esse relatório afirmando ser desinformação infundada e propaganda do Ocidente.

Segundo o porta-voz, Zabullah Mujahid, o Taliban ataca apenas membros do Exército afegão e estrangeiros e os que os ajudam. Ele afirmou que os soldados estrangeiros, e não o Taliban, são os culpados pelas mortes de civis.