Denúncias adiam anúncio oficial do resultado de eleições no Timor

Agência EFE

DÍLI - A proclamação do resultado oficial das eleições presidenciais no Timor Leste, previsto para esta quinta-feira, foi adiado até a apuração das denúncias de irregularidades apresentadas por três candidatos.

O presidente do Tribunal de Apelações do Timor Leste, Claudio Ximenes, disse à agência Efe que recebeu o relatório final da Comissão Eleitoral Nacional e vários recursos apresentados nesta quinta-feira.

Ximenes informou que vai investigar as denúncias antes de proclamar o resultado, o que pode acontecer amanhã ou no sábado.

Lucia Lobato, do Partido Social Democrático (PSD); Fernando de Araújo, do Partido Democrático (PD); e Francisco Xavier do Amaral, da Associação Social Democrática Timorense, apresentaram as denúncias de irregularidades.

Não foi revelado o conteúdo concreto das reivindicações dos três candidatos. Eles teriam ficado em terceiro, quarto e quinto lugar segundo os dados oferecidos pela Comissão Eleitoral Nacional.

O candidato mais votado, segundo os dados divulgados, foi Francisco Guterres, da Frente Revolucionária do Timor Leste Independiente (Fretilin), o partido com maioria no Parlamento, que obteve 112.676 votos (27,89%). Em segundo lugar ficou o atual primeiro-ministro interino e prêmio Nobel da Paz em 1996, José Ramos-Horta, que concorreu como independente, com 88.102 votos (21,81%).

Como nenhum candidato conseguiu mais da metade dos votos válidos, haverá um segundo turno entre os dois mais votados em 8 de maio.

O índice de participação chegou a 81,77%.