Bachelet deixa Venezuela depois de se reunir com antichavistas

Agência EFE

CARACAS - A presidente chilena, Michelle Bachelet, concluiu nesta quinta-feira sua visita oficial à Venezuela e embarcou rumo à Colômbia, depois de encerrar a sua agenda com uma reunião com opositores do presidente Hugo Chávez.

Bachelet chegou na segunda-feira a Isla Margarita para assistir à cúpula energética regional, realizada na segunda e terça-feira.

Nesta quinta-feira, em Caracas, ela concluiu a sua visita e foi levada ao aeroporto pelo vice-presidente venezuelano, Jorge Rodríguez.

A governante chilena não comentou a sua visita e nem a reunião de uma hora com líderes antichavistas, que admitiram aos jornalistas que se satisfaziam com uma foto com ela.

O ex-candidato presidencial e diretor do jornal 'TalCual', Teodoro Petkoff, disse que Bachelet ouviu queixas contra Chávez, sem opinar, porque 'não é esse o seu papel'.

- Ela disse que o Chile está atento e acompanhando com interesse o processo venezuelano, mas obviamente não ia se aprofundar no tema, revelou.

- Demos uma explicação precisa do déficit democrático que temos na Venezuela, da ameaça de uma reforma constitucional para Chávez se nomear presidente vitalício, para eliminar a propriedade privada, para vulnerar o direito a uma educação livre e além disso as tendências militaristas do Governo, acrescentou o também ex-candidato presidencial Manuel Rosales, derrotado nas eleições de dezembro.

O dirigente direitista Julio Borges lembrou à Efe que Bachelet e Ricardo Lagos, os dois presidentes socialistas do Chile após o fim da ditadura de Augusto Pinochet, incluíram a oposição em suas visitas à Venezuela.