Afegãs protestam contra uso obrigatório de burca

Grupo pediu 'justiça' durante manifestação em Cabul

Foto: Ansa
Credit...Foto: Ansa

Pelo menos 12 mulheres protestaram nesta terça-feira (10) em Cabul, no Afeganistão, contra o novo decreto do grupo fundamentalista islâmico Talibã que obriga o uso de burca em público.

Na oportunidade, as manifestantes pediram "justiça" e afirmaram que a "burca não é o nosso hijab", indicando sua oposição à substituição do véu, que cobre apenas a cabeça, pela burca que esconde todo o corpo e deixa apenas uma fenda para os olhos.

Após uma curta marcha na região central da capital afegã, o grupo foi parado por combatentes islâmicos, que também impediram os jornalistas locais de relatar o evento.

"Queremos viver como seres humanos, não como alguns animais mantidos em cativeiro em um canto da casa", disse Saira Sama Alimyar, que participou do protesto.

O líder supremo do Afeganistão e chefe do Talibã, Hibatullah Akhundzada, emitiu um mandato no último fim de semana ordenando que as mulheres do país se cobrissem totalmente com a burca em público.

Akhundzada também ordenou que as autoridades locais demitam as funcionárias do governo que não seguirem o novo código de vestimenta e suspendam os homens se suas esposas e filhas não cumprirem a nova medida.

O decreto anunciado pelo líder do Talibã foi o mais recente de uma série de restrições impostas pelo regime. (com agência Ansa)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais