China relata novas mortes por covid depois de um ano

O país registrou apenas duas mortes por covid em todo o ano de 2021, a última delas em 25 de janeiro.

Foto: Reuters/Tingshu Wang
Credit...Foto: Reuters/Tingshu Wang

A China continental registrou suas primeiras mortes por covid-19 em mais de um ano neste sábado (19), de acordo com um post no site da Comissão Nacional de Saúde que dizia que duas pessoas morreram na região nordeste de Jilin.

A China registrou apenas duas mortes por covid em todo o ano de 2021, a última delas em 25 de janeiro.

O país está mantendo uma abordagem de "autorização dinâmica" que visa cortar a transmissão o mais rápido possível, usando medidas rigorosas, como paralisações curtas e direcionadas e esquemas de testes rápidos onde os casos são encontrados.

Jilin, que faz fronteira com a Coreia do Norte e a Rússia, responde por mais de dois terços das infecções domésticas na última onda.

Um dos mortos não foi vacinado, disse Jiao Yahui, um alto funcionário da Comissão Nacional de Saúde. A causa direta da morte de ambas as vítimas foram doenças subjacentes, disse Jiao a repórteres em Pequim, enquanto os sintomas da covid eram leves.

Uma vítima tinha 87 anos e a outra 65, de acordo com o The Paper, uma publicação estatal de Xangai.

Mais de 95% das quase 30 mil pessoas hospitalizadas com covid na China apresentam sintomas leves ou inexistentes, disse Jiao.

As últimas mortes elevaram o número acumulado da China para 4.638. A China registrou 2.228 novos casos confirmados de coronavírus nessa sexta-feira (18), abaixo dos 2.416 do dia anterior.

Dos novos casos, 2.157 foram transmitidos localmente, em comparação com 2.388 no dia anterior, com 78% aparecendo em Jilin, enquanto outros foram encontrados na província de Fujian, no sudeste, na província de Guangdong e em outros lugares.

Novos casos assintomáticos, que a China conta separadamente dos casos confirmados, totalizaram 1.823, em comparação com 1.904 no dia anterior. Na sexta-feira, a China continental tinha um total acumulado de 128.462 casos confirmados.

As mortes rapidamente se tornaram um dos tópicos mais populares nas mídias sociais chinesas. "Duas novas mortes por covid em Jilin" foram proeminentes na plataforma Weibo, semelhante ao Twitter da China, com muitos usuários esperando mais informações sobre as duas vítimas.

"Por qual motivo isso aconteceu?", perguntou um usuário de mídia social. "Os detalhes devem ser divulgados em tempo hábil."

Outros manifestaram apoio à política de liberação dinâmica da China enquanto criticavam as conversas sobre a abertura.

“Imunidade de rebanho, mesmo abrindo para permitir que as pessoas se exercitem, isso não vai funcionar”, disse outra pessoa no Weibo. (com agência Reuters)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais