COI condena 'violação da trégua olímpica' após Rússia invadir Ucrânia

A Trégua Olímpica, que começou no último dia 4, sete dias antes do início dos Jogos de Inverno de Pequim, termina em 20 de março, sete dias após o fim da Paralímpíada

Foto: Reuters/Kim Hong-Ji
Credit...Foto: Reuters/Kim Hong-Ji

O Comitê Olímpico Internacional (COI) condenou a Rússia por invadir a Ucrânia nesta quinta-feira (24), dizendo que o governo russo violou a Trégua Olímpica em vigor, que visa a aproveitar o poder do esporte para promover a paz e o diálogo.

A Rússia lançou uma invasão total da Ucrânia por terra, ar e mar nesta quinta-feira, o maior ataque de um Estado contra outro na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

A Trégua Olímpica, que começou sete dias antes do início dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 4 de fevereiro, termina sete dias após o encerramento dos Jogos Paralímpicos de Inverno de 4 a 13 de março.

"O Comitê Olímpico Internacional condena veementemente a violação da Trégua Olímpica pelo governo russo", afirmou em comunicado. "A respectiva resolução da ONU (Organização das Nações Unidas) foi adotada pela Assembleia-Geral da ONU em 2 de dezembro de 2021 por consenso de todos os 193 Estados-membros da ONU."

A resolução pede aos Estados membros que cooperem com o COI e o Comitê Paralímpico Internacional "para usar o esporte como uma ferramenta para promover a paz, o diálogo e a reconciliação".

O COI disse que seu presidente, Thomas Bach, reiterou seu pedido de paz. Bach pediu às nações que "deem uma chance à paz" na cerimônia de abertura da Olimpíada de Inverno no início deste mês. (com Reuters)



A Trégua Olímpica, que começou no último dia 4, sete dias antes do início dos Jogos de Inverno de Pequim, termina em 20 de março, sete dias após o fim da Paralímpíada.
Presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, discursa na cerimônia de encerramento da Olimpíada de Inverno Pequim 2022 (arquivo)


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais