'Claramente, somos muito diferentes', responde Boric às felicitações atrasadas de Bolsonaro

O presidente eleito do Chile, Gabriel Boric, respondeu nessa sexta-feira (24) às felicitações tardias do presidente Jair Bolsonaro, que declarou ter ordenado à chancelaria do Brasil para lhe dirigir 'saudações formais'

Foto: Reuters / Rodrigo Garrido
Credit...Foto: Reuters / Rodrigo Garrido

"Praticamente metade da população foi votar, metade se absteve. Deu 55% pro tal do Boric e 44% pro Kast. Cheguei de viagem e mandei o Itamaraty cumprimentar", ressaltou Bolsonaro na quinta-feira (23) durante uma live semanal.

"Não a tinha visto, vamos analisá-la depois", respondeu Boric se referindo à declaração do mandatário brasileiro.

"Não vou dar declarações apressadas, acredito que em políticas de Estado e nas relações exteriores temos que ser um pouco mais cuidadosos. Claramente, somos muito diferentes", resumiu.

O presidente brasileiro foi o último líder da América Latina a felicitar o líder chileno pela vitória nas eleições presidenciais no país, frente ao candidato de direita José Antonio Kast.

Na quarta-feira (22), o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, escreveu no Twitter que a linha política do presidente eleito do Chile tenta levar o país a uma situação semelhante à da Venezuela.

"Pretende aumentar o tamanho do Estado com mais tributos que, segundo ele, serão revertidos no Estado de bem-estar social chileno. Algo muito parecido com o que prometiam Chávez e Maduro."

"Após sua eleição, a bolsa chegou a cair 8%. Já o dólar teve sua maior alta desde 2008, chegando a 878 pesos chilenos. Esse é o maior preço do dólar desde o início da pandemia", resumiu o deputado.(com agência Sputnik Brasil)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais