Grandes empresas dos EUA reduzem significativamente doações para políticos

Dez corporações norte-americanos cortaram 90% das doações para os candidatos a cargos federais em janeiro, depois de anunciarem que iriam cortar as doações aos republicanos que apoiaram Trump após as eleições

REUTERS/Brendan McDermid
Credit...REUTERS/Brendan McDermid

Os dados divulgados pela Comissão Eleitoral Federal mostraram que as comissões de ação política (PAC, na sigla em inglês) ligadas a grandes empresas norte-americanas doaram apenas US$ 13 mil (R$ 70 mil) aos candidatos em janeiro. É o primeiro relatório detalhado sobre contribuições desde a invasão ao Capitólio em 6 de janeiro.

Nenhuma das PAC das dez grandes empresas analisadas pela agência Reuters, entre as quais a Microsoft Corp, Walmart Inc, AT&T Inc e Comcast Corp, doou dinheiro a qualquer dos 147 republicanos do Congresso que apoiaram a tentativa do ex-presidente Donald Trump de inverter a sua derrota eleitoral.

O dinheiro doado durante o mês passado foi menos de um décimo dos cerca de US$ 190 mil (R$ 1 milhão) que as PAC destas empresas doaram aos candidatos em janeiro de 2017. Durante a campanha eleitoral de 2019-2020, as empresas entregaram US$ 10 milhões (R$ 53,8 milhões) aos candidatos.

Os 147 legisladores que votaram contra a vitória do presidente Joe Biden tinham recebido mais de US$ 2 milhões (R$ 10,7 milhões) das PAC durante o último ciclo político de dois anos.

As doações políticas geralmente diminuem nos meses após a eleição geral nos Estados Unidos. O dinheiro das PAC corporativas é uma pequena parte dos fundos coletados pelas campanhas políticas.

No entanto, a escassez de contribuições corporativas em janeiro aponta para um início mais lento em um dos setores de financiamento político antes das eleições de meio mandato de 2022.

As PAC corporativas não podem doar dinheiro do orçamento das empresas. As doações são feitas por seus gestores e acionistas. (com agência Sputnik Brasil)