Biden vai assinar dez medidas para combater a pandemia nesta quinta

.

Foto: Reuters
Credit...Foto: Reuters

O presidente Joe Biden lançará uma série de iniciativas nesta quinta-feira para conter a pandemia de coronavírus, abordando sua principal prioridade em seu primeiro dia inteiro na Casa Branca, enquanto tenta virar a página sobre a tumultuada liderança de Donald Trump.

Biden vai assinar dez ordens executivas para combater a pandemia, incluindo o uso de fundos do desastre para ajudar a reabrir escolas e o uso de máscaras de proteção em aviões e ônibus, disseram as autoridades.

O novo presidente democrata, que prestou juramento nessa quarta-feira, colocou a pandemia no topo de uma lista assustadora de desafios que enfrenta nos primeiros dias de seu governo, incluindo reconstruir uma economia devastada e lidar com a injustiça racial.

Abrindo uma série de implementações de políticas e ações executivas destinadas a enfrentar alguns desses desafios, Biden assinou 15 ações executivas na quarta-feira que visam a virar a página e varrer algumas das iniciativas de Trump.

Essas incluíam a obrigatoriedade de usar máscaras em propriedades federais e a suspensão da retirada da Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como questões como a volta ao acordo climático de Paris e o fim da proibição de viagens em alguns países de maioria muçulmana.

Nesta quinta-feira, ele assinará outra rodada de ordens executivas relacionadas à pandemia, incluindo o uso de máscaras em aeroportos e em alguns transportes públicos, como trens, aviões e ônibus intermunicipais, disseram as autoridades.

Ele também planeja assinar ordens para estabelecer testes covid-19 para intensificar as análises, abordar as deficiências de fornecimento, estabelecer protocolos para viajantes internacionais e direcionar recursos para comunidades minoritárias duramente atingidas. O coronavírus matou mais de 400 mil pessoas nos Estados Unidos.

Biden se comprometeu a fornecer 100 milhões de doses da vacina contra o coronavírus durante os primeiros 100 dias de sua administração. Seu plano visa a aumentar as vacinações, abrindo a elegibilidade para mais pessoas, como professores e balconistas.

Além disso, Biden emitirá uma diretiva  incluindo a intenção de ingressar na aplicação de vacinas da Covax, que visa distribuir vacinas para países pobres, disse seu conselheiro médico chefe, Anthony Fauci, à OMS.

Outras questões a serem tratadas pela nova administração nos próximos 10 dias incluem saúde, economia, imigração e mudanças climáticas.

PELA PARA UNIDADE
Biden fez um apelo por unidade durante seu discurso inaugural nessa quarta-feira, dizendo que superar os desafios que o país enfrenta exigiria um retorno à civilidade.

“Precisamos acabar com essa guerra incivil que opõe o vermelho ao azul, o rural contra o urbano, o conservador contra o liberal. Podemos fazer isso - se abrirmos nossas almas em vez de endurecer nossos corações ”, disse Biden na escadaria do Capitólio, onde uma multidão de apoiadores de Trump invadiu o prédio em 6 de janeiro.

Biden propôs um pacote covid-19 de US $ 1,9 trilhão na semana passada, que aumentaria os benefícios de desemprego e forneceria pagamentos diretos em dinheiro às famílias para aliviar a dor financeira do coronavírus.

Biden planeja instruir a Administração Federal de Gerenciamento de Emergências a reembolsar totalmente os estados e tribos pelos custos associados aos esforços relacionados à Guarda Nacional para combater o vírus, disseram as autoridades.

A medida restaura o “reembolso total” do Fundo de Alívio de Desastres da FEMA para custos relacionados à reabertura de escolas. Os fundos da FEMA são normalmente dispersos após furacões, inundações ou outros desastres naturais.

Autoridades disseram que o governo estava pronto para invocar a Lei de Produção de Defesa para distribuição rápida de vacinas e irá revisar completamente o inventário de itens essenciais necessários para combater a pandemia.

As primeiras iniciativas de Biden podem ficar atoladas no Congresso, onde o Senado dos Estados Unidos está considerando como proceder com o julgamento de impeachment de Trump. A Câmara dos Representantes controlada pelos democratas abriu impeachment de Trump na semana passada por incitar uma insurreição na violência mortal no Capitólio.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, ainda não enviou o texto do impeachment ao Senado. De acordo com as regras do Senado, o julgamento do ex-presidente republicano começaria no dia seguinte ao envio da acusação.

Biden pediu aos legisladores que não deixem o julgamento de Trump interferir em suas prioridades legislativas e na confirmação de seu gabinete. Mas a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse nessa quarta-feira que Biden deixaria a mecânica de como proceder para o Senado.

O governo estava confiante de que o Senado poderia “cumprir seu dever constitucional enquanto conduz os projetos do povo americano”, disse ela.(com agência Reuters)