Oposição vence eleições presidenciais nas Maldivas

Ibrahim Solih declarou vitória nesta segunda-feira (24)

O oposicionista Ibrahim Mohamend Solih declarou vitória nas eleições presidenciais do arquipélago das Maldivas, no Oceano Índico, nesta segunda-feira (24). O resultado foi confirmado pela Comissão Eleitoral do país e reconhecido pelo atual presidente, Abdulla Yameen. "É um momento de felicidade e de esperança. O povo decidiu", declarou Solih à imprensa em Malé, capital das Maldivas. "A mensagem é clara e forte: o povo das Maldivas quer mudança, paz e justiça. Gostaria de pedir ao presidente Yameen que aceite a vontade do povo e que inicie uma transição tranquila, como está previsto na Constituição", completou.

 

"Nossos resultados baseados em uma contagem rápida indicam que Ibrahim Mohamed Solih venceu a eleição presidencial com uma margem considerável", diz um comunicado divulgado pela Ong "Transparency Maldives", que acompanhou o pleito.

 

As ilhas, situadas a 523 quilômetros do sul da Índia, são conhecidas como destino turístico de luxo e sofreram uma turbulento processo de transição democrática após três décadas de regimes autoritários, em 2008. O atual mandatário, Abdullah Yameen, está no poder há cinco anos e enviou opositores para prisão ou para o exílio sob acusações que vão de terrorismo a corrupção.

 

"Esta eleição marca não somente o triunfo das forças democráticas das Maldivas, mas também reflete o compromisso firme com os valores da democracia e do Estado de Direito", disse o Ministério de Relações Exteriores indiano em um comunicado, comentando o resultado das urnas.

 

As Maldivas têm 400 mil habitantes e vêm contando com o apoio da China para projetos de infraestrutura, o que preocupava Índia e Estados Unidos por conta do aumento da influência chinesa na região. Solih tem 56 anos e foi escolhido como candidato do Partido Democrático maldivano depois que outras figuras de destaque da oposição foram presas ou mandadas para o exílio.