Delegação israelense analisa em Moscou incidente com avião russo

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea de Israel, Amikam Norkin, manteve nesta quinta-feira, em Moscou, uma "conversa transparente" sobre o avião russo abatido acidentalmente pela defesa antiaérea síria durante um bombardeio israelense.

"A reunião foi animada e os participantes falaram de forma aberta, profissional e transparente sobre vários temas", declarou o Exército hebreu sobre a visita de sua delegação, liderada por Norkin.

"As partes insistiram na importância dos interesses nacionais e em manter, de forma permanente, um sistema de 'harmonização do espaço aéreo'", trocando informações para se reduzir ao máximo os riscos de incidentes.

Na segunda-feira, um avião russo foi abatido por engano pela defesa antiaérea síria, o que provocou a morte de seus 15 tripulantes, no momento em que Israel atacava depósitos de munições na província síria de Latakia (noroeste).

Os russos acusaram inicialmente os pilotos israelenses de utilizar o avião russo como escudo para os disparos sírios.

Israel se justificou afirmando que o avião russo não estava na área de operação quando seus aviões realizaram o ataque ao alvo na Síria, e que foi atingido quando os aparelhos israelenses regressavam ao seu espaço aéreo.

Na terça-feira, o presidente russo, Vladmir Putin, considerou o incidente como "uma série de circunstâncias acidentais trágicas", mas disse ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que "tais operações da força aérea israelense violam a soberania síria".

Nos últimos meses, os israelenses multiplicaram seus ataques contra tropas iranianas na Síria, insistindo que não permitirão que a República Islâmica utilize o território sírio como trampolim para ataques a Israel.

 

jjm/tbm/lr