HT no Rock in Rio: qual é a época da sua vida mais marcada por Stevie Wonder?

Saímos pelo gramado da Cidade do Rock para fazer a biografia musical do cantor pelos olhos (e ouvidos) de seus fãs

Confira também o nosso blog.

Há alguns meses, Ivete Sangalo nos mostrou seu lado tiete ao cogitar a possibilidade da vinda de Stevie Wonder ao Brasil, mais precisamente ao Rock in Rio. “Eu ia bater na porta do camarim dele, gritar, pintar o rosto e pedir para tirar foto”, nos contou a baiana que está agorinha na porta do camarim dele. Pois o ídolo de Veveta, nosso e de metade do público de hoje do festival está prestes a subir ao palco. Atribuímos à Steve a responsabilidade por elevar a faixa etária do público de hoje, mesmo com a entrada da jovem Ke$ha pouco tempo antes dele, e fomos perguntar aos fãs de longa data qual foi a época em que os hits do cantor mais marcaram suas vidas.

Nos anos 70, Afonso Celso Souza, de 57 anos, não ficava satisfeito só em ouvir as músicas de Stevie que tocavam incessantemente nas rádios. “Eu tinha uma banda e nós sempre tocávamos You are the sunshine of my life. Essa é, sem dúvida, a mais marcante para mim. A banda ficou esquecida por anos, mas há alguns meses nós voltamos a tocar, tiramos o Stevie do setlist, mas eu não podia deixar de vê-lo hoje”, disse.

As baladinhas românticas de Steve eram a trilha perfeita para os namoricos de Glória Mendes, de 64 anos. “Lá nos anos 60, quando eu tinha meus 20 anos, as músicas dele marcaram muito dos meus namoros. Tive um namorado que cantava Isn’t she lovely para mim”, lembrava ela, enquanto se aquecia para a chegada do ídolo. Em sua quarta edição do Rock in Rio, José Luis Pinheiro, de 46 anos, veio acompanhar Glória e, assim como ela, lembra imediatamente dos seus amores quando escuta o hit do cantor americano. “O Stevie me faz lembrar muito do meu primeiro casamento. As nossas músicas eram as dele, aquelas para dançar junto. Desde então, já casei mais duas vezes, agora estou solteiro e vim curtir o show”, contou.

Renata Macedo, de 30 anos, também ouviu toda a discografia do astro na juventude, mas por influência dos pais, que participaram ativamente do auge do sucesso do cantor, nos idos dos anos 70. “As músicas dele me lembram muito dos meus 15 anos. É impossível não ouvir qualquer uma delas sem lembrar dessa época e dos meus pais”, disse ela, que trouxe o marido, Marcelo Macedo, de 49 anos, à tiracolo, apesar da preferência dele em ter visitado a Cidade do Rock durante ooooutro dia. “Gosto do Stevie e do Jamiroquai, vim assistí-los. Mas eu sou mais do rock pesado e gostaria de ter vindo assistir o Metallica”. 

Mas bem que nós o vimos curtindo todo o setlist do Jamiroquai...

[email protected]