HT comenta: a polêmica da magreza excessiva das candidatas ao Miss Universo

No concurso vencido pela Miss Angola, as concorrentes exibiam seus corpos de medidas mínimas, quase como se modelos de passarela fossem

Confira também o nosso blog.

Em 1954, logo após o concurso de Miss Universo realizado nos Estados Unidos, Martha Rocha chegou aqui no Brasil junto com as notícias de que havia perdido o título por conta de duas polegadas a mais nos quadris. Se a notícia é lenda ou não, pouco importa, mas se fosse para criar problema com as medidas das candidatas ao Miss Universo 2011 seria por polegadas a menos.

Em todas as transmissões ao vivo na TV e na internet, timelines e redes sociais os espectadores do concurso só sabiam se espantar com as medidas reduzidas das misses. A venezuelana Vanessa Gonçalves foi até taxada de artificial, por conta de sua postura nada confortável para manter a barriga sequinha, na clássica pose de “não consigo respirar, mas está tudo no lugar”. Porém, o maior choque da noite foi a forma física da Miss Estados Unidos, Alyssa Campanella. A ruiva ficou entre as 16 finalistas e espantou na hora do desfile de biquíni. Com seus longos e armados cabelos ruivos, com a ajuda de bastante laquê, a moça parecia uma Barbie Verão saída diretamente da caixa. A um passo da anorexia?

Por aqui ficamos nos perguntando se as misses não deveriam ser o retrato da beleza real de um país - e as formas mínimas não são dominantes em lugar nenhum. Para exibir moças com corpos-cabide, já temos semanas de moda e concursos de modelo suficientes, não é?

[email protected]