Fliporto: influência judaica em pauta na Casa Brasil

Paralelamente à 6ª edição da Fliporto, em Olinda, o JORNAL DO BRASIL organiza as atividades da Casa Brasil, instalada no Mercado da Ribeira, tradicional ponto turístico da cidade. A temática, assim como a da programação oficial do festa literária, aborda a influência judaica no Brasil e, em especial, nos estados do Nordeste.

Em exposição permanente estão desenhos de Daniel Azulay, bastante conhecido por apresentar programas infantis na televisão. Tenista amador, aos 21 anos Daniel viajou pela primeira vez para Israel, representando o Brasil na Macabíada, a Olimpíada Judaica. Na cidade, eles rascunhou desenhos em pedaços de papel, depois transportados para maiores formatos. É o que se pode ver na exposição: situações engraçadas e reflexivas envolvendo rabinos, padres greco-ortodoxos, freiras, árabes, mouros e muçulmanos.

O cineasta Jom Tob Azulay exibiu seu filme O judeu, e depois conversou com o público sobre a trajetória do dranaturgo e poeta Antônio José da Silva, restratado na fita.

Um dos momentos mais concorridos até agora foi o lançamento dos livros Jornada de volta ao crucificado, de Jacques Icek Kano, e A cultura alimentar judaica em Pernambuco, de Tania Kaufman, Daniel Breda e Beatriz Schvartz. Os autores falaram a respeio das obras. 

"Antes de iniciar meu estudos, tinha receio de dizer. Mas hoje tenho certeza: o Nordeste, sobretudo Permanbuco e a Paraíba, é uma região judaica", afirmou Tania Kaufman.

Encerrando a noite de sábado, um concerto de jazz em homenagem a Gershwin animou o ambiente no alto da Ribeira.