Judoca do Piauí é esperança brasileira no Mundial de Judô

Sarah Menezes tem apenas 21 anos, mas já pode ser considerada uma atleta experiente. Bronze no último Mundial de Judô, a brasileira vem como cabeça de chave para a edição deste ano, que ocorre em Paris entre 23 e 28 de agosto. A judoca é também a primeira atleta do Piauí a disputar uma Olimpíada (Pequim 2008), fato que aumenta sua fama em seu estado natal, mas que não lhe traz mais pressão.

"No Piauí, quando as pessoas me veem na rua, sentem muito orgulho. Às vezes nem acreditam que sou eu mesma. Veem na televisão tão grande e pessoalmente tão pequena. Mas me admiram muito, torcem por mim onde quer que eu esteja. É uma união bem bacana que eu criei com o meu estado", relata a brasileira, que estreia no Mundial já no primeiro dia de competições, na categoria até 48 kg.

"Me dou bem com isso, não vejo nenhuma pressão. Até porque o judô é algo que faço por amor. Na competição, apenas vou colocar aquilo que fiz no treino. Lógico que tem aquela ansiedade da competição, mas não vejo nenhuma pressão em cima de mim", relata Sarah.

A piauiense faz parte da nova geração do judô feminino nacional, que recebeu elogios de um ícone do esporte. A japonesa Ryoko Tani, escolhida pela Federação Internacional de Judô (IJF) a melhor judoca da história da modalidade, exaltou o trabalho que vem sendo feito pelas atletas do Brasil durante a festa dos 60 anos da entidade. "O Brasil tem um judô que evoluiu muito, especialmente o feminino. Atualmente compete em alto nível", afirmou Tani.

"Isso para a gente é muito importante. É bom para que o pensamento do judô feminino evolua, tenha mais confiança com esses elogios de uma atleta de ponta. Fico muito feliz com isso e agradeço a ela pelo elogio que fez para a nossa Seleção", respondeu Sarah. "Hoje em dia tem muitas garotas praticando e vejo que está evoluindo em nosso País", completou.