Sem Ney Franco, Santos já admite efetivar Martelotte

SÃO PAULO - Após os insucessos nas tentativas de contratar um substituto para Adilson Batista, o Santos já muda os planos e cogita efetivar o treinador Marcelo Martelotte.

Segundo publica o jornal O Estado de S. Paulo nesta sexta-feira, depois de ver Mano Menezes vetar "dividir" Ney Franco, o clube já fala em estender o vínculo do interino pelo menos até maio, quando termina o contrato de Abel Braga com o Al Jazira.

A publicação informa ainda que os dirigentes da Vila Belmiro ouviram três "nãos" nos últimos dias, logo após o desligamento de Adilson. O primeiro teria surgido de Abel, devido a impossibilidade de romper com os árabes antes do final do contrato (o mesmo treinador foi procurado no ano passado, assim que Dorival Júnior deixou o cargo).

O segundo foi Paulo Autuori e o último foi Muricy Ramalho, ainda no Estádio Azteca, na Cidade do México, onde o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o América.