Giba raspa barba e lembra "visual intimidador" de 2004

Usando barba desde que chegou na Itália para a disputa do Mundial de Vôlei, Giba inovou no visual nesta sexta-feira, um dia antes da semifinal decisiva contra os donos da casa. O capitão da Seleção Brasileira resolveu raspar e deixar apenas o cavanhaque, em visual que lembra o usado nos Jogos Olímpicos de 2004, quando a equipe de Bernardinho foi campeã em cima dos italianos.

Naquela final, ele adotou bigode parecido ao que é usado pelos mexicanos. O visual daquela época surgiu por acaso, já que tinha prometido para sua mulher Cristina Pirv, grávida na época, que não faria barba até voltar e resolveu homenagear o pai que usava um look semelhante.

A novidade deu certo, e Giba passou a adotá-la em outras competições quando o Brasil chegava em épocas decisivas. "Sempre começa assim, eu vou mudando aos poucos. Um dia é um cavanhaque, depois vem o bigode na sequência", explicou.

Daquele duelo contra a seleção italiana, três jogadores devem ter más lembranças do visual e da atuação de Giba: o oposto Fei, o levantador Vermiglio e o meio de rede Mastrangelo. "Com certeza eles vão se lembrar daquele visual, espero que intimide um pouco", afirmou Giba depois do treino.

Os outros jogadores da equipe brasileira aprovaram a mudança na cara do seu capitão. "A gente sabe que quando o Giba começa a raspar a barba, coisa boa vem por aí", brincou o levantador Bruninho.