Maradona continuará internado ao menos até segunda-feira, diz clínica

REUTERS

BUENOS AIRES - O ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona continuará internado pelo menos até segunda-feira na clínica em Buenos Aires onde foi hospitalizado na semana passada após sofrer uma recaída da hepatite tóxica alcóolica ligada ao consumo em excesso de álcool, disse nesta sexta-feira um boletim médico.

Depois, o ex-capitão da seleção argentina será transferido a uma instituição psiquiátrica para tratar seus vícios, disse seu médico pessoal, Alfredo Cahe, que não estabeleceu uma data específica para este tratamento.

"Maradona ficará internado para a realização de exames até que sejam alcançadas condições que permitam sua transferência para outra instituição para continuar seu tratamento", disse a clínica Los Arcos em comunicado.

"Será divulgado um novo boletim médico na segunda-feira 23 de abril às 12 horas", acrescentou, dando a entender que Maradona continuará internado pelo menos por mais um fim de semana.

O ex-jogador, cujo segundo gol contra a Inglaterra na Copa do Mundo de 1986 voltou a ser notícia devido a um gol quase igual convertido por seu compatriota Lionel Messi em jogo do Barcelona, foi internado em 28 de março com hepatite alcoólica em consequência do uso em excesso de álccol e tabaco, além de exageros em sua alimentação.

Após quase duas semanas em uma clínica onde passou boa parte do tempo sedado para evitar uma crise de abstinência, Maradona deixou o local em divergência com seu médico e ficou hospedado em um sítio próximo a Buenos Aires. Mas na sexta-feira passada, quase 48 horas depois de ter recebido alta, precisou ser novamente internado com dores abdominais, em seguida diagnosticadas como uma recaída da hepatite tóxica.

Cahe disse na quinta-feira que Maradona, de 46 anos, seria transferido na segunda ou terça-feira para uma clínica psiquiátrica, e acrescentou que o ex-jogador havia começado a caminhar e fazer exercícios.