Derrota diante do Bologna abre crise na Roma

Presidente disse estar "enojado" com o desempenho do clube

A derrota do último domingo (23) diante do Bologna, pelo Campeonato Italiano, abriu uma crise na Roma. O técnico "giallorosso", Eusebio Di Francesco, está pressionado no cargo, e o presidente do clube, James Pallotta, afirmou estar "enojado" com a situação da equipe.

 

Na quinta rodada da Série A, a Roma ocupa somente a 14ª posição, com cinco pontos somados. A única vitória do clube da capital na competição foi diante do Torino, na primeira rodada. Após isso, os "giallorossi" perderam para Milan e Bologna, além de empatar com Chievo e Atalanta.

 

Para piorar a situação, o técnico Di Francesco viu sua equipe ser goleada pelo Real Madrid na Liga dos Campeões e perder um amistoso para o Benevento, que disputa a Série B da Itália. "Se eu tivesse uma explicação para isso, daria a você. Uma coisa é certa, falta solidez defensiva, é daí que surgem esses erros.

 

Também é sobre desejo, tempo e fogo, você não pode ensinar isso, eu fui um jogador e sei o que significa estar lá", afirmou Di Francesco.

 

Antes da partida contra a Roma, o Bologna não tinha marcado gols e vencido nenhum jogo no Campeonato Italiano. No entanto, com tentos de Federico Mattiello e Federico Santander, a equipe "rossoblu" fez do clube da capital sua primeira vítima na Série A.

 

"Se você tem 74% de posse de bola e perde por 2 a 0, isso significa que algo está faltando em sua atitude", avaliou o técnico da Roma. Com os resultados negativos e após Pallotta afirmar que está "enojado", a imprensa italiana já começou a especular possíveis substitutos de Di Francesco. Entre eles os mais cogitados são Paulo Sousa, atualmente no Tianjin Quanjian, da China, Laurent Blanc e Vincenzo Montella, ambos sem clube.

 

O capitão da Roma, Daniele De Rossi, afirmou que a equipe está chocada com os resultados negativos e tirou a culpa de Di Francesco. "Algo não está funcionando agora, e precisamos encontrar as razões entre nós mesmos", disse o meio-campista.

 

"Este é o mesmo treinador que nos levou às semifinais da Liga dos Campeões. Não vejo por que devemos colocar a culpa em cima dele. Para derrotar Bologna e Chievo, você não precisa ter Guardiola no banco.

Como jogadores, devemos assumir a responsabilidade", acrescentou.

 

Já o técnico Claudio Ranieri, campeão inglês pelo Leicester, afirmou que Di Francesco "é um dos melhores treinadores do futebol italiano" e apontou que a diretoria da Roma é a grande culpada pela má fase, principalmente por ter vendido as "espinhas dorsais" da equipe no início da temporada, como o goleiro Alisson e os meias Radja Nainggolan e Kevin Strootman.

 

A Roma voltará a campo nesta quarta-feira (26), para enfrentar o Frosinone, no Estádio Olímpico. No sábado (29), os giallorossi jogarão contra a Lazio, no "Dérbi da Capital".