Jornal do Brasil

Esportes

Em nota de repúdio, Cruzeiro cobra da Conmebol investigação por expulsão polêmica de Dedé

Com auxílio do VAR, zagueiro celeste é expulso por cabeçada em goleiro do Boca e causa revolta na internet

Jornal do Brasil

Na noite de ontem (19), em jogo de ida das quartas de finais da Copa Libertadores da América, em La Bombonera, Cruzeiro visitou o tradicional Boca Juniors, de Buenos Aires, e volta pra casa com uma desvantagem de 2 a 0. Em um estádios mais "hostis" do continente, o clube celeste, ainda que tenha saído atrás no placar após gol de Mauro Zárate, conseguiu igualar a posse de bola e criava chances de gol. 

Aos 31 minutos do segundo tempo, um banho de água fria: em levantamento na área argentina, o zagueiro Dedé disputou a bola no alto e acabou atingindo em cheio a boca do goleiro Andrada, do clube adversário, que caiu em campo. O VAR (sigla em inglês para assistente de árbitro de vídeo) entrou em campo; avisado pela comissão da Conmebol, o juiz paraguaio Eber Aquino foi aconselhado a assistir o lance em uma televisão na lateral de campo. Após assistir, o juiz decidiu por expulsar de campo o zagueiro brasileiro, que sequer tinha cartão amarelo. Em seguida, Cruzeiro ainda tomou o segundo gol e precisa vencer por, no mínimo, dois gols de diferença pra levar a disputa para os pênaltis.

Macaque in the trees
Zagueiro Dedé (Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro E.C.)

O ocorrido causou revolta na internet por aqueles que acharam uma atitude exagerada do árbitro do jogo. Após o fim da partida, o Cruzeiro divulgou nota de repúdio, na qual cobra da Confederação sul-americana uma investigação sobre a expulsão:

"A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube vem a público repudiar de forma veemente a expulsão absurda do zagueiro Dedé, na noite desta quarta-feira, diante do Boca Juniors, pelas quartas de final da Copa Conmebol Libertadores.

O Clube considera que o juiz paraguaio Eber Aquino, por ato deliberado, praticou uma das maiores, mais lesivas e equivocadas decisões já tomadas na história do futebol, uma vez que o árbitro mesmo tendo a oportunidade de consultar o VAR no lance do jogo, conseguiu tomar uma decisão flagrantemente contrária ao que foi registrado pelas imagens.

É imprescindível que a CONMEBOL determine a abertura de investigação formal contra esse flagrante e imponderável atentado contra o futebol brasileiro.

A cúpula celeste informa, também, que está estudando as melhores opções para ingressar à CONMEBOL na busca por amenizar o tamanho prejuízo técnico decorrido da expulsão de Dedé, inclusive buscando por medidas judiciais contra os autores desta covardia.

O Cruzeiro também aproveita para endossar as palavras de diversos veículos de comunicação como Olé, Clarín, TV Globo, ESPN, SporTV, Fox Sports e tantos outros, além agradecer à solidariedade de outros clubes de futebol. De igual forma, esperamos que a CBF assuma imediatamente a sua responsabilidade na defesa dos clubes brasileiros, que há tanto tempo são prejudicados maliciosamente pela arbitragem internacional. Isso precisa acabar!

A vergonha foi tamanha que o termo #VerguenzaConmebol rapidamente se tornou um dos 10 assuntos mais comentados no mundo na rede social Twitter, com diversas mensagens de protestos de torcedores de diversos clubes do Brasil e da América do Sul.

A diretoria do Cruzeiro informa, ainda, que não deixará, sob hipótese alguma, de defender os interesses do Clube e de sua torcida, e que as devidas providências serão tomadas."



Recomendadas para você