Um estímulo a mais

Respeito ao modesto mazembe na final, realizada no dia 17 de dezembro, o barça era o favorito. mas deu inter, gol de adriano gabiru, que saíra do banco de reservas para substituir o ídolo fernandão e dar o primeiro título mundial ao colorado. ali, o clube conquistava o mundo e, de quebra, igualava-se ao rival grêmio – campeão do mundo em 1983.

Este ano, o título da libertadores foi conquistado sobre o chivas, do méxico. a partir daí, o time colorado fez pouco caso do brasileiro e concentrou suas forças no mundial. andou, com isso, perdendo muitos jogos, o que acaba tirando a confiança dos jogadores. o técnico celso roth, por sua vez, diz o contrário. segundo o treinador, o clube fez o projeto certo para estar hoje em abu dhabi lutando pelo bi.

– vivendo o clima do mundial. trouxemos os jogadores muitos dias antes da estreia para eles se adaptarem. assistimos também aos jogos dos adversários, pois é muito melhor do que ficar mostrando vídeos – disse roth.

Sobre o adversário, ninguém esconde que as atenções estão mesmo voltadas para o compromisso do dia 18 – data da final, em tese contra o inter de milão, desde que ambos passem por seus adversários. ainda assim, os jogadores colorados pregam respeito ao modesto mazembe. afinal, ninguém quer ficar marcado como o primeiro clube entre os favoritos a ser eliminado na fase preliminar.

– é preciso respeitar todo mundo. no futebol, há surpresas. cada vez há menos diferenças – alerta sóbis. – nem sempre os favoritos ganham, aí está o exemplo do pachuca (méxico), que perdeu para o mazembe quando parecia superior – completou o atacante, citando o cruzamento que apontou o adversário colorado.