Coligação de Beto Richa barra pesquisa Datafolha, no Paraná

A coligação "Novo Paraná", do candidato Beto Richa ao governo do Paraná, conseguiu suspender a divulgação do resultado de uma pesquisa Datafolha que encerraria suas entrevistas de campo nesta quinta-feira. Decisão liminar do juiz auxiliar Nicolau Konkel Júnior, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) barrou a divulgação dos números, sob pena de multa de R$ 100 mil.

Segundo o advogado da coligação "Novo Paraná", Ivan Bonilha, foram encontradas duas irregularidades na pesquisa: ausência de ponderação por segmentos (classe social, grau de instrução, sexo dos entrevistados) e um possível regime de indução de respostas. "São quesitos considerados fundamentais tecnicamente e, sem eles, demonstra a fragilidade e a possibilidade de distorção do resultado", alegou Bonilha. Uma pesquisa VoxPopuli e outra do Ibope, apenas para a região oeste, também foram impedidas de serem divulgadas, depois de representação da "Novo Paraná".

A impugnação das pesquisas, após os últimos levantamentos registrarem queda na diferença entre Richa e Osmar Dias (PDT) foi criticada pelos adversários do tucano. "É o Beto Mandrake, que só gosta de pesquisa mágica. O Datafolha é o instituto que, no consenso nacional, privilegiava o Beto (PSDB) e o Serra (PSDB). Mas quando se aproxima a data da eleição, para não cair na desmoralização, eles começam a corrigir os números. Agora ele (Beto) percebeu que já perdeu a eleição e tenta fazer isso. Será que no dia 3 de outubro vai tentar impedir a votação também?", provocou o ex-governador Roberto Requião, candidato ao Senado na chapa de Osmar Dias.